sexta-feira, 12 de julho de 2013

A janela–Poesia e fotografia

Iniciei um projeto de fotografia e poesia. Como gosta das duas coisas a  inspiração de certo modo aparece. As fotos não são minhas mas a poesia sim! Visite tambem https://www.facebook.com/milanimaster 

A Janela (História curtas - Marcelo Milani)
Eis que se abre a janela do amanhecer. Um novo dia de uma sexta feira se inicia. Mais um dia na minha história, mais 24 horas de vida na sua. O que será que o dia nos reserva lá fora? Os encontros e desencontros já estão determinados e a vida se transforma numa caixinha de surpresa. Ânimo, coragem! Como saber se na esquina haverá alguém de sorriso fácil a lhe oferecer um sonho de valsa se você não se levantar da cama? Abra a janela deste dia e o viva inteiramente. Ouse ousar e não limite-se em dividir o seu ser com o mundo. Desenhe sua história com traços de espontaneidade, humildade e presteza. A noite cairá e juntos chegaremos a uma conclusão. Valeu a pena abrir a janela deste dia...Foto: A Janela (História curtas - Marcelo Milani)
Eis que se abre a janela do amanhecer. Um novo dia de uma sexta feira se inicia. Mais um dia na minha história, mais 24 horas de vida na sua. O que será que o dia nos reserva lá fora? Os encontros e desencontros já estão determinados e a vida se transforma numa caixinha de surpresa. Ânimo, coragem! Como saber se na esquina haverá alguém de sorriso fácil a lhe oferecer um sonho de valsa se você não se levantar da cama? Abra a janela deste dia e o viva inteiramente. Ouse ousar e não limite-se em dividir o seu ser com o mundo. Desenhe sua história com traços de espontaneidade, humildade e presteza. A noite cairá e juntos chegaremos a uma conclusão. Valeu a pena abrir a janela deste dia... A janela (História curtas - Marcelo Milani): Não me lembro quanto tempo fazia que não parava para me sentar em frente a janela da minha sala. Os dias corridos entre trabalho, faculdade, viagens de empreendedorismos e todo o resto me consumiu por muito tempo. Agora que estou em frente a janela e não posso sair é que penso com meus botões. Tem tanta coisa legal lá fora que antes eu não dava bola e foi preciso o mundo girar para que pudesse descobrir que aqui em baixo se vê tudo o que perdi lá em cima. Quanta desperdício de vida.Estou preso nessa cadeira de rodas e gastei meu tempo com tanta coisa sem valor. E nessa calmaria toda em frente a janela que percebo o quanto eu perdi. Corri mas nada alcancei. Tenho tanto e me sinto vazio. Mesmo sem o movimento das pernas eu tenho vontade de caminhar, desta vez para a direção certa. Só agora parei para perceber o quanto é bonito a paisagem na frente da minha janela...Foto: A janela (História curtas - Marcelo Milani)
Não me lembro quanto tempo fazia que não parava para me sentar em frente a janela da minha sala. Os dias corridos entre trabalho, faculdade, viagens de empreendedorismos e todo o resto me consumiu por muito tempo. Agora que estou em frente a janela e não posso sair é que penso com meus botões. Tem tanta coisa legal lá fora que antes eu não dava bola e foi preciso o mundo girar para que pudesse descobrir que aqui em baixo se vê tudo  o que perdi lá em cima. Quanta desperdício de vida.Estou preso nessa cadeira de rodas e gastei meu tempo com tanta coisa sem valor. E nessa calmaria toda em frente a janela que percebo o quanto eu perdi. Corri mas nada alcancei. Tenho tanto e me sinto vazio. Mesmo sem o movimento das pernas eu tenho vontade de caminhar, desta vez para a direção certa. Só agora parei para perceber o quanto é bonito a paisagem na frente da minha janela...

0 comentários:

Postar um comentário

 
;